ACESSO EXCLUSIVO PARA PROFESSORES

ACESSO EXCLUSIVO PARA ESTUDANTES

ESPM > Blog >

Entenda o que é e quais são os objetivos do ESG

Professor de ESG da ESPM explica o que de mais importante você precisa saber sobre o tema que está transformando o mundo dos negócios  

 

Pensar em boas práticas ambientais, sociais e de governança são os objetivos do ESG. “Nos anos 1990 e no início dos anos 2000, muito se falava em responsabilidade social e sustentabilidade e na era pós-pandemia fala-se em ESG, que direciona o comprometimento das empresas com o tripé meio ambiente, social e governança”, diz Marcus Nakagawa, professor de ESG da ESPM. Confira a seguir o que de mais importante você precisa saber sobre o assunto: 

 

O que é ESG? 

ESG é uma sigla internacional que significa Environmental, Social and Governance (ambiental, social e governança, em português). O termo foi mencionado pela primeira vez em um relatório da ONU publicado em 2005, onde a entidade discutia a importância de as empresas e governos olharem para os impactos de suas ações no planeta, na sociedade e dentro da corporação.  

 

Entretanto, a ideia só tomou fôlego em 2021, quando Larry Fink, presidente da BlackRock, o maior fundo de investimentos do mundo, enviou uma carta a seus clientes alertando sobre a necessidade do enfrentamento dessas questões pelo universo corporativo e os governos para diminuírem os riscos relacionados a elas. 

 

Para que serve o ESG? 

O ESG é um mecanismo de gerenciamento administrativo voltado para o todo. Implica em observar e agir para ofertar produtos e serviços, cuidar dos impactos disso no ambiente e na comunidade vizinha à empresa, zelar pelas relações com fornecedores, distribuidores, pontos de venda, clientes, colaboradores, governos, acionistas e stakeholders. 

 

Para isso, é necessário trabalhar em adaptações ou implementações de mudanças que se baseiam nos três principais indicadores do ESG.  

 

Quais são os indicadores ESG? 

 

Ambiental 

A empresa tem que analisar quais são os impactos que a sua produção causa no meio ambiente e na sociedade e buscar meios de diminuir problemas e encontrar soluções. Pensar em voltar a produção para a economia circular e cumprir protocolos de gestão ambiental são medidas importantes, que vão além da própria corporação e envolvem fornecedores. Isso porque eles têm que estar alinhados com o ESG em todos os processos: desde a extração da matéria prima até o momento em que termina o ciclo de vida de um produto. 

 

Social 

Este indicador se refere a treinar fornecedores para trabalharem de acordo com as diretrizes do ESG, incluindo a extinção de trabalho infantil e análogo à escravidão, fornecer informações para os consumidores descartarem adequadamente os produtos e educar os funcionários a praticarem o ESG dentro e fora da empresa para manter uma coerência de postura. O Social também implica em cuidar do clima no trabalho, da saúde emocional dos colaboradores e adotar posturas em benefício da diversidade de maneira eficiente. 

 

Governança 

É fundamental que as atividades da empresa estejam em conformidade com as leis do país e com as obrigações burocráticas relacionadas à governança da organização. A transparência na divulgação de metas e objetivos para conselhos, diretoria e setores públicos deve ser o mais transparente possível e igual para todos. Isso se traduz em um bom relacionamento com os públicos interno e externo (clientes, fornecedores e ONGs). 

 

Núcleo de Conteúdo ESPM
Núcleo de Conteúdo ESPM
você também pode gostar:

Translate

According to your choice

[gtranslate]

SEED Program

ESPM, em parceria com a Gorom Association (https://gorom.org/en/), está promovendo uma colaboração acadêmica que visa a desenvolver habilidades de empreendedorismo social, liderança e comunicação intercultural, o que permitirá um aprofundamento da compreensão do desenvolvimento de negócios globais a quatro estudantes selecionados para participar do programa, que se iniciou em julho e culminará em uma apresentação de resultados em dezembro de 2023.

O programa deste ano envolve a preocupação com a revitalização da economia local no Japão, país que tem enfrentado o envelhecimento da sociedade e a baixa taxa de natalidade e que, juntamente com outros fatores econômicos, tem imposto muitos desafios para o desenvolvimento dos negócios. Na edição deste ano, os participantes serão divididos em quatro grupos de pesquisa, envolvendo os setores de saquê, vinho, joias e têxteis, para desenvolverem soluções de propostas concretas de negócios.

Para isso, ao longo de cinco meses do programa, os participantes serão capacitados por meio de aulas, debates, realização de pesquisas e orientações, a desenvolverem suas propostas. Essas atividades serão realizadas online, mas, ao final do programa, será realizado o Study Tour ao Japão, que oferecerá uma oportunidade para os alunos levarem as habilidades e conhecimentos que adquiriram e aplicá-los de forma prática.

Serão cerca de 12 dias, em que os estudantes finalizarão as consultas e as pesquisas de campo, conversarão com especialistas, produtores locais e líderes comunitários antes da apresentação de suas conclusões, em um “Pitch Final” aos empresários e outros stakeholders-chave na cidade de Yamanashi, em dezembro de 2023.